Connecting...

W1siziisijiwmtgvmtevmtqvmtkvntyvmzuvnzeyl2ftzxjpy2etyw5hbhlzaxmtynvzaw5lc3mtoti2otg3lmpwzyjdlfsiccisinrodw1iiiwimtawmhg0mdbcdtawm2uixv0

Minimalismo: como a cultura do essencial pode tornar os profissionais mais produtivos?

Em um mundo cada dia mais tecnológico e digital, somos bombardeados de informações e interrupções o tempo todo. Você já parou para analisar quantas vezes ao dia o Whatsapp rouba sua atenção? Ou então, já teve a curiosidade de contabilizar todos os minutos que se transformaram em horas enquanto rolava o feed? Se na era digital o tempo é o recurso mais escasso, a nossa atenção é o bem mais preciso.

 

Estamos vivendo conectados de maneira ininterrupta e nesse estilo de vida, estamos susceptíveis a desenvolver a Síndrome do Pensamento Acelerado - SPA. O transtorno descreve uma mente cheia de pensamento, inquieta e que funciona o tempo todo enquanto a pessoa está acordada. A ansiedade, dificuldade para dormir, falta de foco nas atividades e uma angústia crescente são alguns dos sintomas.

 

Romper esse ciclo que drena a energia e derruba a produtividade, parece impossível, mas a verdade é que cultivar a cultura do essencial, também conhecida como minimalismo, pode ser um dos tratamentos para a síndrome. O conceito minimalista surgiu na arte, evoluiu para a moda, invadiu a arquitetura e tornou-se um movimento de consumo consciente. O fato é que trata-se de um estilo de vida e pode ser aplicado em diversas esferas da vida moderna.

 

O minimalismo, descrito como ter e viver com aquilo que é suficiente, é uma ferramenta poderosa para enfrentarmos a vida agitada nas grandes metrópoles. Ao abandonarmos aquilo que não precisamos, sejam objetos, comportamentos, rotinas, relacionamentos, abrimos espaço para o que realmente é importante e conseguimos dedicar atenção, tempo, energia e ideias ao que temos que fazer.

 

Na vida profissional, podemos adotar o minimalismo com uma postura de compartilhar com os colegas de trabalho somente o conteúdo necessário. Imagina quantas reuniões intermináveis e improdutivas podem ser poupadas e resumidas a poucos minutos de conversa? É difícil mudarmos uma cultura, e por isso mesmo, o primeiro passo é mudarmos a nós mesmos.

 

Comece identificando o motivo pelo qual sua presença é importante naquela reunião. Limite sua participação ao que é indispensável. Contenha os impulsos de compartilhar exemplos e experiências que não sejam primordiais para o assunto. Evite interromper o raciocínio de outra pessoa sem que haja uma necessidade urgente. Quando a responsabilidade de conduzir a conversa for sua, restrinja o convite aos participantes que são indispensáveis para a tomada de decisão e execução do trabalho. Prepare o conteúdo e lembre-se de manter-se dentro do tema e do tempo estipulado para a conversa. Respeite a atenção e o tempo de seus colegas, afinal, como dito antes, esses são recursos precisos para os dias de hoje.

 

Em ambas as situações, esteja plenamente presente, focado. Ter atenção plena ao que se está fazendo é a melhor maneira de prevenir erros, desgaste mental e refações no trabalho. Ao mergulharmos em uma tarefa com dedicação, estamos sendo mais produtivos do que se brincarmos de equilibrista com um prato em cada mão. O mercado de trabalho está em busca de profissionais multitarefas, mas ser uma pessoa com habilidades diversas e complementares é diferente de ser alguém que faz tudo ao mesmo tempo. Uma boa forma de desenvolver essa característica é por meio do mindfulness, que estimula o desenvolvimento da atenção plena.

 

Mas, se por um lado a tecnologia é tida como vilã da nossa atenção, ela também pode ser uma excelente ferramenta para a cultura do essencial. Em sua última atualização, o Instagram adicionou em suas configurações um gerenciador de tempo, que monitora quantos minutos/horas o usuário fica no aplicativos todos os dias. Essa funcionalidade não só acompanha a rotina e os hábitos de uso, como também tornou possível criar um alerta para que cada indivíduo limite o tempo de permanência na plataforma.

 

O fato é que as transformações da era da informação não irão retroceder. Teremos que conviver e adaptar nosso estilo de vida a um mundo cada vez mais conectado. Nessa história não existe herói ou vilão. Cada um de nós é responsável por encontrar o equilíbrio em nossas relações interpessoais e no modo como interagirmos como o mundo. Se esse estilo de vida estiver consumindo a sua atenção e sua produtividade, acenda uma luz de alerta e desacelere. Caso tenha identificado algum dos sintomas do SPA, procure um especialista. O minimalismo prega que menos é mais. 

Tags: