Connecting...

W1siziisijiwmtkvmdcvmtevmtgvntyvmdqvotaxl2fkdwx0lwnozwvyznvslwnsaxbib2fyzc0xmdg5ntq5lmpwzyjdlfsiccisinrodw1iiiwimtawmhg0mdbcdtawm2uixv0

Mentoring: como usar essa ferramenta para crescer profissionalmente na área de TI?

Entenda quais são as principais diferenças entre Mentoring x Coaching e descubra como essa ferramenta de desenvolvimento profissional pode te ajudar a crescer na carreira
 

Acompanhar o ritmo das mudanças é um grande desafio da área de Tecnologia, mas está longe de ser o único. Encontrar, atrair e reter talentos tornou-se um dos principais obstáculos dessa área. O número de profissionais qualificados, que possuem planejamento de carreira e clareza sobre seus próximos passos, é escasso, o que acaba tornando a missão de preencher as cadeiras ainda mais difícil. Acelerar o processo de amadurecimento e qualificação desses profissionais é uma tarefa urgente - e uma demanda cada dia mais importante para o mercado de trabalho. Nesse sentido, o mentoring - ferramenta de desenvolvimento profissional que quer dizer mentoria ou apadrinhamento -  tem se provado uma ferramenta interessante para os profissionais que desejam tomar decisões melhores e evoluir na carreira. 

 

O mentor de carreira tem o papel de orientar seu mentorado com base nas suas próprias experiências. Ele fornece aconselhamento e provocações que irão contribuir para que o indivíduo tome decisões mais assertivas e alinhadas com seu planejamento e objetivo de carreira. Diferentemente do coaching, que atua para conduzir o profissional em uma meta específica, guiando as decisões e ações para que a pessoa consiga mover-se do estado atual para o desejado, a mentoria tem a missão de exercitar reflexões mais profundas e estratégicas em relação a uma situação. De modo prático, a mentoria tem como um de seus maiores objetivos ajudar o profissional a desenvolver competências necessárias para que possa caminhar de forma independente, enquanto o coaching atua no plano de ação.

 

Escolher alguém para ter como referência de carreira e buscar conselhos dessa pessoa é uma tarefa que exige certo nível de autoconhecimento do profissional. O mentor deve ser alguém em que se deposita muita confiança ou admiração, afinal você irá dividir seus pensamentos, decisões e angústias. Não necessariamente precisa ser alguém da mesma área de atuação, isso até pode ser saudável, uma vez que a visão de uma pessoa fora do seu nicho de atuação pode ser altamente agregadora. No entanto, em se tratando da área de tecnologia, ter conhecimento técnico e acompanhar as mudanças do mercado de perto pode ser uma boa vantagem competitiva, uma vez que conseguirão ter profundidade sobre o mercado e sobre como cada passo pode influenciar no desenvolvimento de suas competências.

 

O mentoring, como uma ferramenta estratégica para crescer profissionalmente, já provou ser uma vantagem competitiva para os profissionais. Contar com a visão de um profissional experiente, que faça provocações instigantes, que ajude a traçar objetivos de longo prazo, forneça um olhar de fora da situação e ainda troque perspectivas e conhecimentos sobre o mercado é muito importante para um profissional se manter qualificado. Essa visão estratégica, desenvolvida a partir do mentoring, já se provou ser uma das principais soft skills para profissionais de TI.

 

Caso você esteja pensando em convidar seu líder direto para tornar-se seu mentor de carreira, saiba que o ideal é que essa pessoa não tenha ligação direta com seu dia a dia de trabalho. Imagine a situação onde você recebe um convite para trabalhar em outra empresa e precisa de conselhos sobre qual das duas organizações tem melhor alinhamento com seus objetivos. Se o seu mentor for também seu chefe atual, por mais que você confie no julgamento dele, talvez a orientação em seu aconselhamento esteja contaminada por receio de perder uma peça de sua equipe.

 

A relação de mentoria se estende por anos, mas o programa deve ter começo e fim e com uma agenda pré-definida. A ideia é que esse profissional acompanhe seu desenvolvimento e seja acionado em momentos de mudanças ou tomada de decisão que julgue importante. Ela não deve estar limitada ao tempo que você permanecer dentro de uma organização. Apesar dessa ressalva, é extremamente natural quando nos sentimos inspirados por nossos chefes e gerentes, desejar que esses se tornem mentores de nossas carreiras.

 

Em muitos casos, a admiração pela liderança inspiradora supera inclusive a admiração pela marca e cultura empresarial. Na área de tecnologia, a retenção de talentos depende intimamente do quanto o profissional se sente inspirado e motivado por sua liderança direta.

 

Utilizar o mentoring como ferramenta para aconselhamento e desenvolvimento de competências pode ser uma excelente maneira de se preparar para o futuro do trabalho, onde veremos as carreiras, principalmente em tecnologia, sendo guiadas por projetos. Poder contar com o aconselhamento e direcionamento de profissionais admirados para escolher os trabalhos que farão mais sentido, os projetos que serão impulsionadores de carreira e desafiadores, fará muito sentido em um futuro o qual já considero como realidade.